Endo Max HP Adiel

EndoMax HP

EndoMax HP

Caneta EndoMax HP

Caneta EndoMax HP

Endo Max HP

TÉCNICA DE PREPARO AUTOMATIZADO OSCILATÓRIO E ROTATÓRIO

  • Apresentação da técnica

     

    A presente proposta de técnica de instrumentação do sistema de canais radiculares aplica-se aos canais de dificuldade compatível às situações morfológicas similares aos canais mesiais de molares inferiores e vestibulares de molares superiores, dado ao pequeno diâmetro destes canais e sua conformação curva. Os passos serão relatados após abertura coronária e identificação da embocadura do canal. Deve-se ressaltar ainda que sempre o canal deva estar preenchido com solução irrigadora, e a cada troca de instrumento a mesma deverá ser substituída. Para tanto, sugere-se a associação de soro fisiológico com gel de clorexidina a 2% (clorexoral, Biodinâmica), ou associação de EDTA gel (EDTA gel, Biodinâmica) e hipoclorito de sódio a 2,5%.

 

  • Objetivando o melhor detalhamento da técnica, serão apresentadas quatro fases interdependentes:

     

  • Fase 1

    - Preparo da embocadura do canal

    - Preparo dos terços cervical e médio

    Fase 2

    - Remoção progressiva (crown-down) do conteúdo do canal radicular

    - Determinação do comprimento de trabalho e diâmetro anatômico

    Fase 3

    - Preparo do leito do canal

    Fase 4

    - Modelagem com  alta conicidade

 

Fase 1

 

1. O preparo da embocadura do canal radicular deverá ser realizado com instrumentos rotatórios especialmente desenvolvidos para esta finalidade. Sugere-se a broca Largo 2 e, em seguida a 1. Como opção à broca Largo, a CP Drill (Injecta, São Paulo) azul e vermelha, ajustando a velocidade do motor Endo Max (Adiel, Ribeirão Preto, Brasil, Fig. 1 e 2) para 050 (X10 rpm), em seguida premendo-se o botão “contra ângulo” para o modo rotatório (com o ícone de um instrumento rotatório). Este procedimento fornecerá 500 rotações na cabeça rotatória, ideal para o trabalho com estes instrumentos. Caso desejar, poderá ser realizado o preparo em velocidades mais altas. Para tanto, coloque no motor um contra ângulo 1:1 (o mesmo usado no motor pneumático), premendo o botão contra ângulo para o ícone representando um instrumento manual. Ajuste a velocidade desejada, lembrando-se que o valor que aparece no display deve ser multiplicado por 10 vezes.

 

 

2. Utilização de instrumentos rotatórios Gates nº. 3, 2 e 1, somente na parte reta do canal, de maneira progressiva, do maior para o menor diâmetro. A velocidade pode ser a mesma recomendada no item 1. Esta manobra também pode ser realizada com instrumentos de alta conicidade (sugestão Oriffice Shapers), em rotação reduzida (300 rpm), respeitando-se o trajeto reto do canal. A seqüência para se obter o preparo adequado do terço cervical e médio pode ser o instrumento azul, o vermelho e o amarelo, em progressão, até o limite do início da curvatura (Fig. 3).

 

3. Introduzir, com movimentos de cateterismo, um instrumento tipo K 10, segundo a orientação interpretada através da análise da imagem radiográfica do canal, penetrando até o comprimento de trabalho provisório, dado pela mensuração da imagem radiográfica inicial do canal menos 3mm.

 

Fase 2

 

4. Introduzir, com movimentos oscilatórios manuais, o instrumento Nitiflex 35 até sentir resistência à sua penetração apical. Marque a posição atingida com o cursor. Esta posição deverá ser menor que a posição referente ao comprimento de trabalho provisório (Fig. 5). Remova o instrumento do canal após o ajuste no comprimento alcançado.

5. Acoplar ao contra-ângulo com a cabeça oscilatória o mesmo instrumento Nitiflex 35, anteriormente utilizado. Regular a velocidade do micro-motor para 250 (X10 rpm, Fig. 4), premendo o botão de seleção para o ícone referente ao instrumento manual. Inserir o instrumento com movimentos circunferenciais curtos de penetração e retrocesso, tocando lateralmente todas as paredes do canal, até a marcação do cursor, sem pressão apical.

 

 

Sequência de instrumentos rotatórios utilizados para o preparo do terço cervical e médio.

Ajuste da velocidade para 250 (X10 r.p.m.). Ajuste da opção oscilatória, premendo o botão contra ângulo. Nesta opção, a velocidade será de 2500 oscilações por minuto.

Profundidade de inserção esquemática para os instrumentos rotatórios (OS, de Oriffice Shaper) e a lima Nitiflex 35.

6. Introduzir manualmente, com movimentos oscilatórios, o instrumento Nitiflex 30 até sentir resistência à sua penetração apical. Marque a posição com o cursor. Esta posição deverá ser igual ou menor que a posição referente ao comprimento de trabalho provisório (Fig. 6). Remova o instrumento do canal após o ajuste no comprimento alcançado.

7. Acoplar ao contra-ângulo oscilatório o mesmo instrumento Nitiflex 30. Utilizar a cinemática análoga à descrita no item 4.

8. Repetir os passos 5 e 6 com os instrumentos NItiflex 25 e 20 (Fig. 7).

9. Realizar a odontometria (preferencialmente eletrônica) com instrumento de aço inox tipo K 10 ou 15, segundo o diâmetro anatômico do canal radicular (Fig. 8). Concluída a odontometria, remova o instrumento do canal e acople o mesmo instrumento (LK 10 ou 15, aço inox) no contra-ângulo oscilatório.

    Figura 6                                                                                     Figura 7                                                               Figura 8

Fase 3

 

10. Concluída a odontometria, remova o instrumento do canal e acople o mesmo instrumento (LK 10 ou 15, aço inox) no contra-ângulo oscilatório. Acionar o micro-motor e inserir o instrumento com movimentos circunferenciais curtos de penetração e retrocesso, tocando lateralmente todas as paredes do canal, preferentemente a parede da anti-curvatura, até o comprimento de trabalho (Fig. 9).

11. Repetir o mesmo procedimento utilizando-se, seqüencialmente até o comprimento de trabalho, limas manuais de níquel titânio Nitiflex de 20 até 30 ou 35, sempre atingindo o comprimento de trabalho (Fig. 10). A cada troca de instrumento, realizar a patência foraminal com o instrumento 15 de aço inox.

Fase 4

12. Introduzir, com movimentos oscilatórios manuais, o instrumento Protaper F1 até a posição referente ao comprimento de trabalho. Opcionalmente poderá ser utilizado um cabo adaptado ao instrumento, resultando em melhor controle à cinemática neste passo. Porém não é imprescindível o uso deste recurso, podendo simplesmente o operador segurar e acionar pelo handle do instrumento (Fig. 11).

Figura 9 - Lima tipo K 10 ou 15, acionada pela cabeça oscilatória, atingindo todo o comprimento de trabalho.

Figura 10 - Seqüência de instrumentação oscilatória seriada, atingindo o comprimento de trabalho, até a lima Nitiflex 30 ou 35.

Figura 11. Adaptação opcional do cabo ao instrumento rotatório. Alcançando o comprimento de trabalho ou até 2mm aquém pelo ajuste manual, o instrumento é acoplado à cabeça rotatória.

13. Remova o instrumento do canal após o ajuste no comprimento de trabalho. Este instrumento deverá apresentar-se bem adaptado as paredes do canal. Caso o instrumento esteja em uma posição de mais de 2mm aquém da posição referente ao comprimento de trabalho, repita a manobra oscilatória com o ultimo instrumento utilizado. Caso o instrumento esteja adaptado a menos de 2mm aquém do comprimento de trabalho, siga para o próximo passo.

14. Acoplar ao contra-ângulo com a cabeça rotatória o mesmo instrumento Protaper F1, mantendo a mesma velocidade do motor (25 X 10 r.p.m.), apenas premendo o botão de seleção para o ícone referente ao instrumento rotatório (Fig. 12). Inserir o instrumento duas vezes até o comprimento de trabalho, com movimento simples de ida e volta.

15. Repetir os itens 11 e 12 usando seqüencialmente os instrumentos F2 e, opcionalmente, F3.

16. Opcionalmente poderá ser realizada uma seqüência complementar com instrumentos Profile 35 e 40 0.04 (Fig. 13), repetindo-se as mesmas manobras anteriormente descritas para cada instrumento (itens 12, 13 e 14).

17. Finalizada a modelagem do canal, procede-se a seleção do cone de guta-percha. Neste caso, a instrumentação alcançando o diâmetro F2 ou F3, deve-se, portanto, optar-se por um cone desta medida, e submetê-lo às provas de comprimento e adaptação. Caso tenha havido a complementação com a série Profile 35 e 40 0.04, o cone escolhido deverá seguir a mesma medida.

Figura 12 - Ajuste da velocidade para 025 (x10r.p.m.). Ajuste da opção rotatória, premendo o botão contra ângulo. Nesta opção, a velocidade será de 250 rotações por minuto.

Figura 13. Opcionalmente, o operador poderá completar a modelagem com instrumentos rotatórios 35 e 40 0.04.